Em dia Mundial do Livro, queremos trazer-lhe uma sugestão de um dos nossos maiores escritores e pensadores do século XX/XXI, de seu nome José de Sousa Saramago. Encantei-me por José Saramago nos primórdios da minha juventude e rapidamente a sua fina ironia, a cadência e ritmo da sua escrita, e as suas reflexões sobre o mundo moldaram parte do meu pensamento e me fizeram viajar com ele.     

Viagem a Portugal, foi "apenas" mais uma daquelas pérolas que me fizeram apaixonar pela obra de Saramago e mesmo não sendo um dos seus livros de título mais sonante (como o Ensaio sobre a Cegueira, Memorial do Convento, ou O Evangelho segundo Jesus Cristo...) é sem dúvida, um grande livro de Viagens. Deixemo-nos pois então levar em deambulação por Portugal, na companhia de Saramago, num livro que é uma mistura de crónicas, narrativas, pensamentos e memórias. Um livro repleto de citações inspiradoras que captam a essência, sonho e matéria do que se chama Viajar e para isso deixamos apenas esta citação:

"Não é verdade. A viagem não acaba nunca. Só os viajantes acabam. E mesmos estes podem prolongar-se em memória, em lembrança, em narrativa. Quando o viajante se sentou na areia da praia e disse: “Não há mais que ver”, sabia  que não era assim. O fim de uma viagem é apenas o começo de outra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na Primavera o que se vira no Verão, ver de dia o que se viu de noite, com o sol onde primeiramente a chuva caía, ver a seara verde, o fruto maduro, a pedra que mudou de lugar, a sombra que lá não estava. É preciso voltar aos passos que foram dados, para os repetir, e para traçar caminhos novos no lado deles. É preciso recomeçar a viagem. Sempre. O viajante volta já."

0 comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior
Pegadas Geológicas: Ponta de São Lourenço
Próximo
Pegadas Geológicas: Pedras Parideiras