Na pequena aldeia da Castanheira, em pleno planalto da Serra da Freita, ocorre um fenómeno único no mundo, fascinando desde tempos longínquos os habitantes desta serra encantada, um local onde “pedras parem pedras”. Sejam bem-vindos ao afloramento das Pedras Parideiras!

O granito nodular da Castanheira, mais conhecido por “Pedra Parideira”, corresponde a um corpo granítico com, aproximadamente, 310 milhões de anos, aflorando numa área de apenas 1 km2. O granito, de cor clara e grão médio, apresenta a particularidade de conter uma invulgar quantidade de nódulos biotíticos (mineral de cor negra) de forma discoide e biconvexa.

Pela acção da erosão, estes pequenos nódulos libertam-se do granito e acumulam-se no solo, deixando uma pequena capa de biotite, um mineral do grupo das micas, a revestir as cavidades onde anteriormente se encontravam, sendo este o motivo pelo qual os habitantes da aldeia da Castanheira denominaram esta rocha “Pedra Parideira”.

Este fenómeno, de características únicas à escala mundial, é um dos geossítios mais emblemáticos do Arouca Geopark, possuindo não só uma elevada importância geológica, como igualmente um valor cultural significativo, tendo despertado, desde o Neolítico, a curiosidade dos povos que se estabeleceram na Serra da Freita.

Numa próxima oportunidade, aventure-se com a Hike Land pelos trilhos mágicos da Serra da Freita e conheça este peculiar fenómeno geológico!


0 comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior
Pegadas Literárias: “Viagem a Portugal”
Próximo
Pegadas Literárias: “A Arte da Viagem”