Nos arredores da pequena e singela povoação de Casmilo (concelho de Condeixa-a-Nova), situada nas serranias do Maciço de Sicó e rodeada por extensos olivais e campos de cultivo, encontra-se um vale de origem fluvio-cársica caracterizado pela presença, nas suas escarpadas vertentes calcárias, de numerosas cavidades, cuja majestosidade impressiona todos aqueles que as visitam. Sejam bem-vindos às Buracas do Casmilo!

O Vale das Buracas, nome pelo qual é conhecido no meio científico, corresponde a um pequeno canhão fluvio-cársico, isto é, um vale de vertentes abruptas que foi aprofundado pela passagem de água ao longo do tempo, escavado em calcários do Jurássico médio na Serra do Rabaçal, em pleno Maciço de Sicó, estendendo-se ao longo de 400 metros numa direcção coincidente com a tectónica de fracturação local (Cunha et al., 2006).

As “buracas” propriamente ditas são pequenas concavidades de desenvolvimento horizontal, presentes nas zonas mais escarpadas do vale. Possuem formas circulares ou elípticas, podendo atingir mais de 10 metros de diâmetro inicial e 5-7 metros de profundidade, embora a grande maioria apresente dimensões inferiores (Cunha et al., 2006). Dispõem-se, geralmente, em estratos de calcários mais porosos e fracturados do maciço rochoso.

Embora a formação e desenvolvimento das “buracas” esteja, sobretudo, associado à disposição das camadas de calcário e respectiva densidade de fracturação (Cunha, 1986), os processos de crioclastia (acção erosiva devido à formação de gelo, neste caso, de água que preenchia as fracturas do calcário) também terão tido um papel importante no aprofundamento das formas conhecidas hoje no vale, durante as duas últimas fases climáticas mais frias, Riss (150.000 a 60.000 anos) e Würm (35.000 a 20.000 anos).

Num futuro próximo, não deixe passar a oportunidade e venha visitar as Buracas de Casmilo, um dos ex-libris do Maciço de Sicó, com a Hike Land!


Referências
Cunha, L. 1986. As «Buracas» das Serras Calcárias de Condeixa – Sicó. Cadernos de Geografia, 5, 139-150. Disponível em URL.

Cunha, L., Almeida, M., Neves, M.J., Dimuccio, L.A. & Aubry, T. 2006. Contributo da sequência cultural pleistocénico-holocénica para a compreensão da génese e evolução do canhão fluvio-cársico do Vale das Buracas. Actas do 2.º Congresso Nacional de Geomorfologia, 3, 69-75. Disponível em URL.

0 comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior
Pegadas Geológicas: Penedo do Lexim
Próximo
Pegadas Literárias: “Silêncio na Era do Ruído”